Notícias
Busca:

Categoria Música

Fernanda Muniz, musicista e Diretora do C.E.M. – Centro de Educação Musical.

Foi homenageada no dia 5.03  com o Troféu Clave 2009, entregue pelas mãos do Presidente da Ordem dos Músicos do Brasil, o  Maestro Roberto Bueno em cerimônia honrosa pelo profícuo desempenho profissional e valiosa dedicação á música como arte e cultura na sua mais cristalina forma.

Na zona norte de Sp, o Centro de Ed Musical é dirigido pela musicista,no qual conta com profissionais renomados no mundo musical e métodos modernos para o ensino musical.

A escola C.E.M é a única na zona norte de Sp a receber esta premiação.

Os 10 benefícios da música

1- A música provoca um forte impacto no cérebro e deve ser encorajada nas crianças desde cedo;

2- Tocar instrumentos fortalece e melhora a coordenação motora;

3- O estudo musical amplia o raciocínio nas crianças na escola;

4- Crianças que estudam música têm melhor comportamento em salas de aula e apresentam uma redução de problemas disciplinares;

5- Pessoas de mais idade envolvidas em fazer música têm melhorias significativas na saúde;

6- O fazer musical altera algumas regiões do cérebro para combater o mal de Alzheimer;

7- O desenvolvimento musical faz reduzir os sentimentos de ansiedade, solidão e depressão;

8- A música diminui o estresse e reforça o sistema imunológico;

9- Estudos comprovam : aulas de piano ou teclado para idosos provocam aumento do hormônio do crescimento, colaborando no aumento do nível de energia, das funções sexuais e da massa muscular, evitando osteoporose e rugas;

10- Em todas as idades, a música reforça o sentimento e convivência em grupo, proporcionando melhorias no relacionamento interpessoal.

A medicina e a musicalização infantil

Cientistas mostram que as experiências durante a  infância alimentam os circuitos nervosos e determinam o futuro da inteligência.

“A música é um dos estímulos mais potentes para ativar os circuitos do cérebro. A janela de oportunidades musical abre-se aos 3 anos e fecha-se aos 10 anos. Não por acaso, conhecem-se tão poucos concertistas que se tenham iniciado no aprendizado musical depois de iniciada a adolescência. Em outubro de 1995, pesquisadores da Universidade de Konstanz, na Alemanha, estudaram o cérebro de nove músicos destros, do naipe das cordas de uma orquestra local.
Graças ao exame de ressonância nuclear magnética, perceberam que as porções cerebrais relacionadas aos movimentos do polegar eram maiores do que entre os não músicos. Nessa diferença, não importava a quantidade de horas dedicadas ao estudo musical, e sim, em que idade eles haviam sido apresentados aos instrumentos sempre cedo”.


Continue lendo…

Construção do Cérebro

Pesquisadores de diversas partes do mundo estão descobrindo que há etapas definidas para o desenvolvimento do cérebro das crianças, e informam que a inteligência, a sensibilidade e a linguagem podem e devem ser aprimoradas na escola, no clube e, especialmente, dentro de casa. E maior surpresa: o gosto pela ciência, pela arte e pelas línguas ocorre muito mais cedo do que se imaginava.Os 400 gramas de massa cinzenta de um recém-nascido guardam os neurônios de toda uma vida.

As conexões, entretanto, ainda não estão totalmente desenvolvidas. As fibras nervosas capazes de ativar o cérebro têm de ser construídas, e o são pelas exigências, pelos desafios e estímulos a que uma criança é submetida, a maior parte entre o nascimento e os 4 anos de idade.


Continue lendo…

O poder de cura da música

Quando Debbie Clark levou Adam, seu filho autista de 3 anos, a um musicoterapeuta, o menino mal conseguia falar. Na clínica da Universidade Estadual da Califórnia, os terapeutas incentivaram o garoto a se expressar, tocando instrumentos e tambores. E musicaram conversas a fim de fazer Adam falar. “Em três meses a transformação foi fenomenal” diz Debbie.

“Antes, Adam nunca olhava pessoas desconhecidas nos olhos, muito menos falava com elas. Agora, dá adeus aos terapeutas e diz: ‘Tchau, Jim. Tchau, Ron. Até semana que vem.’ Pode acreditar: isto é música para os meus ouvidos.”


Continue lendo…

Segundo os especialistas, a música pode provocar, nos seres humanos, oito efeitos:

1. anti-neurótico
2. anti-distônico
3. anti-stress
4. sonífero e tranqüilizante
5. regulador psicossomático
6. analgésico e/ou anestésico
7. equilibrador do sistema cardiocirculatório
8. equilibrador do metabolismo profundo.

Para os estudiosos, a influência da música atinge diversos órgãos e sistemas do corpo humano:
O o cérebro, com suas estruturas especializadas, como o hipotálamo, a hipófise, o cerebelo; o córtex cerebral, o tálamo, o plexo solar, os pulmões, todo o aparelho gastrintestinal, e sangue e o sistema circulatório (com ação vasoconstritora e vasodilatadora, agindo, portanto, na pressão sanguínea), a pele e as mucosas, os músculos e o sistema imunológico.


Continue lendo…

Login